Free website - Powered By Wix.com
Olhar/Mosaico em perspectiva de práticas e conhecimentos, políticas e artes africanas/diaspóricas. Apenas um biocaminho na esfera. Afim de experimentar toques e palavras, sons e ruídos, notas tortas e dissonâncias. Apalpando e sorvendo quase tudo, no cosmo, na Américafrolatina, quase na beira do Atlântico.Por desvelar e re-conhecer as partes e o todo na busca do estar pleno no mundo, enquanto for.

SILVA, Salloma Salomão Jovino da. Bio-caminho

salloma Salomão Jovino da Silva, "Salloma Salomão é um dos vencedores do CONCURSO NACIONAL DE DRAMATURGIA RUTH DE SOUZA, em São Paulo, 2004. Professor da FSA-SP, Produtor Cultural, Músico e Historiador. Pesquisador financiado pela Capes e CNPQ, investigador vistante do Instituto de Ciências Socais da Universidade de Lisboa. Orientações Dra Maria Odila Leite da Silva, Dr José Machado Pais e Dra Antonieta Antonacci. Lançou trabalhos artíticos e de pesquisa sobre musicalidades negras na diáspora. Segue curioso pelo Brasil e mundo afora atrás do rastros da diápora negra. #CORRENTE- LIBERTADORA: O QUILOMBO DA MEMÓRIA-VÍDEO- 1990- ADVP-FANTASMA. #AFRORIGEM-CD- 1995- CD-ARUANDA MUNDI. #OS SONS QUE VEM DAS RUAS- 1997- SELO NEGRO. #O DIA DAS TRIBOS-CD-1998-ARUANDA MUNDI. #UM MUNDO PRETO PAULISTANO- TCC-HISTÓRIA-PUC-SP 1997- ARUANDA MUNDI. #A POLIFONIA DO PROTESTO NEGRO- 2000-DISSERTAÇÃO DE MESTRADO- PUC-SP. #MEMÓRIAS SONORAS DA NOITE- CD - 2002 -ARUANDA MUNDI #AS MARIMBAS DE DEBRET- ICS-PT- 2003. #MEMÓRIAS SONORAS DA NOITE- TESE DE DOUTORADO- 2005- PUC-SP. #FACES DA TARDE DE UM MESMO SENTIMENTO- CD- 2008- ARUANDA SALLOMA 30 ANOS DE MUSICALIDADE E NEGRITUDE- DVD-2010- ARUANDA MUNDI.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

De onde vem o ódio



ÓDIO. A Grande Mídia colocou no nosso vocabulário corrente a palavra Ódio, como sinônimo de caos, há pouco mais de um ano. A função de seu uso, entretanto, tem sido interdição do pensamento antinormativo. Mas, desde então vejo tanta gente boa e bem intencionada repetindo e repetindo e repetindo esse termo, sem refletir o que ele quer encobrir nessa nossa complexa realidade social, cultural e política.
Temos um congresso que elabora, aprova e implementa leis de trabalho escravo e apoio a emprego precário.
DE ONDE VEM O ÓDIO?
Temos quatro Famíglias que controlam os meios de comunicação em favor das grandes fortunas e interesses mais espúrios.
DE ONDE VEM O ÓDIO?
A polícia, as milícias, as gangues e cultura da violência geram 60 mil mortes por ano. Mata-se mais gays, mulheres e jovens pretos-pretas.
DE ONDE VEM O ÓDIO?
Temos um STF que manda soltar bandidos confessos de colarinho branco e uma justiça que mantem em cárceres pequenos ladrões e jovens ativistas.
DE ONDE VEM O ÓDIO?
Temos um sistema econômico que penaliza os assalariados e premia os bancos?
DE ONDE VEM O ÓDIO?
Temos Governantes diretamente envolvidos com Milícias e Tráfico internacional.
DE ONDE VEM O ÓDIO?
Temos uma classe média branca abertamente racista, e um conjunto de leis antirracistas que não consegue puní-la porque, as delegacias manipulam a interpretação dessa mesma lei.
DE ONDE VEM O ÓDIO?
Temos prenúncios nítidos de fascismo em todos os espaços da vida social, com amplo apoio midiático e de parte significativa da tal opinião pública.
DE ONDE VEM O ÓDIO?
Grupos de neopentecostais armados degranadam sacerdotizas de filosofias religiosas africanas e ostentam porretes, filmam e publicam na rede, sem reação do MP.
DE ONDE VEM O ÓDIO?
Infelizmente não sentimos ódio ainda. Mas leves doses de indignação, grandes medo e gigantesca impotência.
Se odiassemos ao menos um pouco as elites, por tudo que nos fazem passar e pelo que expressam nos odiar, os bourbons daqui já estariam, há tempos, no paredão ou no cadafalso.