Free website - Powered By Wix.com
Olhar/Mosaico em perspectiva de práticas e conhecimentos, políticas e artes africanas/diaspóricas. Apenas um biocaminho na esfera. Afim de experimentar toques e palavras, sons e ruídos, notas tortas e dissonâncias. Apalpando e sorvendo quase tudo, no cosmo, na Américafrolatina, quase na beira do Atlântico.Por desvelar e re-conhecer as partes e o todo na busca do estar pleno no mundo, enquanto for.

SILVA, Salloma Salomão Jovino da. Bio-caminho

salloma Salomão Jovino da Silva, "Salloma Salomão é um dos vencedores do CONCURSO NACIONAL DE DRAMATURGIA RUTH DE SOUZA, em São Paulo, 2004. Professor da FSA-SP, Produtor Cultural, Músico e Historiador. Pesquisador financiado pela Capes e CNPQ, investigador vistante do Instituto de Ciências Socais da Universidade de Lisboa. Orientações Dra Maria Odila Leite da Silva, Dr José Machado Pais e Dra Antonieta Antonacci. Lançou trabalhos artíticos e de pesquisa sobre musicalidades negras na diáspora. Segue curioso pelo Brasil e mundo afora atrás do rastros da diápora negra. #CORRENTE- LIBERTADORA: O QUILOMBO DA MEMÓRIA-VÍDEO- 1990- ADVP-FANTASMA. #AFRORIGEM-CD- 1995- CD-ARUANDA MUNDI. #OS SONS QUE VEM DAS RUAS- 1997- SELO NEGRO. #O DIA DAS TRIBOS-CD-1998-ARUANDA MUNDI. #UM MUNDO PRETO PAULISTANO- TCC-HISTÓRIA-PUC-SP 1997- ARUANDA MUNDI. #A POLIFONIA DO PROTESTO NEGRO- 2000-DISSERTAÇÃO DE MESTRADO- PUC-SP. #MEMÓRIAS SONORAS DA NOITE- CD - 2002 -ARUANDA MUNDI #AS MARIMBAS DE DEBRET- ICS-PT- 2003. #MEMÓRIAS SONORAS DA NOITE- TESE DE DOUTORADO- 2005- PUC-SP. #FACES DA TARDE DE UM MESMO SENTIMENTO- CD- 2008- ARUANDA SALLOMA 30 ANOS DE MUSICALIDADE E NEGRITUDE- DVD-2010- ARUANDA MUNDI.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Ananse- Pode ser na lua escola


Ocupação Cultural. Aruanda
Na tradição do povo Ashanti do Gana,  a Aranha (Ananse) é tida como o símbolo da sabedoria, paciência e experiência. Sua teia representa a capacidade construtiva que os seres humanos precisam para enfrentar desafios práticos e existenciais. Esse projeto de residência artística se ampara nessa concepção filsófica africana e ancestral, para propor uma forma contemporânea de conectividade, convivência e intercambio artístico cultural entre diferentes gerações escolares. Osvaldo Aranha foi um intelectual brasileiro de grande renome na década de 1930-1940. Representou internacionalmente no Brasil na Organização das Nações Unidas e teve papel importante no acolhimento de pessoas de origem judaico perseguidas por regimes autoritários. O Osvaldo Aranha é nome de uma das escolas mais tradicionais e antigas ada zona sul. Uma verdadeira referência de escola pública voltado a formação humanista completa e de valorização da diversidade, na região sul de São Paulo.   
O conceito de residência artista foi elaborado pela UNESCO e em larga medida utilizado por outras instituições voltadas para o fomento de práticas culturais e artísticas, em torno do mundo. Consiste na escolha de um local onde um conjunto de artistas se revezam para comunicar e disseminar suas obras e suas metodologias criativas.
Podem ser escolhidos lugares públicos ou privados, desde que as atividade disseminadas sejam acessíveis, gratuitas ou de baixo custo de maneira tal que atinjam o máximo de pessoas possível e causando impacto social.
A Escola Estadual Osvaldo tem um histórico regional de ter abrigado inúmeras práticas culturais e artística na cidade de São Paulo desde sua fundação como colégio Vocacional na década de 1960. Que memórias restam daquela escola pública onde se desenvolviam competências técnicas, filosóficas e práticas em artes visuais, música, comunicação, língua estrangeira, etc? Em que medida tal história da escola pública pode servir de parâmetro  comparativo para o ensino escolar público atual?  
Em que pese alguma crítica a uma herança elitista do modelo vocacional, hoje parece importante mostrar a gerações atuais, os importantes intelectuais e artistas cujas trajetórias escolares foram marcadas por esta instituição. Mas, por onde andam estes ótimos profissionais formados pelo Osvaldo Aranha? Que contribuições podem dar tais  pessoas a novas gerações de alunos dessa escola? Que padrões éticos de relacionamentos podem ser estabelecidos com instituição de forma, que haja transparência e reciprocidade?    
Ao completar 56 anos, Salloma objetiva transformar sua experiência artística em uma legado público, que envolve aprendizagens de diversas linguagens como literatura, dramaturgia, musicalidade, corporalidade, cine-vídeo e teatro, além da construção de instrumentos musicais.  Salloma Salomão e um ex-aluno do Colégio Estadual Osvaldo Aranha. hoje professor universitário e artista conhecido internacionalmente, com passagens pela Guiné Bissau, França, Portugal, Senegal e realizador de excursões artísticas e atividades acadêmicas e formativas em  diferentes regiões do Brasil. Assessorias prestadas às instituições públicas: Universidade Federal de São Carlos, Universidade Estadual de Santa Cruz (Bahia), Universidade Federal do Acre e Secretaria do Estado da Educação de São Paulo e Mato Grosso do Sul. Além das   Prefeituras Municipais de Osasco, São Paulo, Guarulhos, Rio Branco, Várzea Paulista, Suzano, etc.       
Doutor em História Social pela PUC-SP, Salloma é pesquisador visitante do Instituto de Ciências Sociais de Universidade de Lisboa. Co-editor da Revista Sampa Mundi, tem sido consultor e formador em processos de educação continuada para professores, em diferentes instituições.
Seus textos autorais se encontram publicados em revistas especializadas nacionais e internacionais sobre artes, culturas e educação. Bolsita Capes, Cnpq e Sephis (Holanda) também foi ganhador de prêmios de dramaturgia,  em culturas negras e diásporas africanas. Já prestou serviços de consultoria a importantes instituições  privadas como, Ação Educativa, Instituto C&A, Natura Social, Rede SESC, Instituto Paulo Freire e Instituto Cultural Itaú.

Justificativa
Ao longo da sua trajetória de educador, pesquisador e artística, Salloma não apenas desenvolveu diferentes habilidade pedagógicas, como também acumulou técnicas teorias e conhecimentos práticos relacionados a música, literatura, vídeo, teatro e performance.
Outra habilidade desenvolvida pelo proponente é capacidade para agregar diferentes talentos individuais  e propor ações coletivas de formações e reflexões artístico-educacionais-culturais para públicos e contextos sociais diversos.
A proposta aqui apresentada de Residência Artística Ananse- Salloma Salomão no Osvaldo Aranha, tem essa perspectiva a ser propiciada. Ocupar o espaço da escola, concentrando atividades e vivências no histórico anfiteatro Osvaldo Aranha.  Durante o mês de Agosto quando serão realizadas oficinas e espetáculos, com a participação ativa dos alunos, professores e convidados,  culminando numa exposição das atividades realizadas naquele que é período tradicionalmente dedicado ao folclore nas escolas.
O mês de Augustos, conhecido no ideário popular como o mês do cachorro louco, será convertido num tempo de convivência, sanidade artística e criação cultural.

Objetivos
O primeiro a objetivo a ser atingido é agregar artistas e produtores culturais, para realização atividades formativas e apresentações artísticas nas dependências da Escola Estadual Osvaldo Aranha. Propiciar aos alunos formação artística-cultural de excelência no seu próprio ambiente escolar.
O Segundo objetivo é apresentar a história e memória escolar do Osvaldo Aranha, como um legado efetivo da educação pública, mostrando de forma exemplar, como os ex-alunos foram impactados pela formação adquirida nessa em unidades escolares públicas.
O terceiro e último objetivo é gerar recursos e destinar 70% para os artistas envolvidos no porjeto, uma vez descontados os custos de equipamentos, divulgação e trabalho dos profissionais envolvidos nas oficinas e apresentações musicais.

Consideraçoes gerais
Todo equipamento técnico como instrumentos musicais , câmeras, computador, telão, projetor para oficinas e apresentações serão fornecidas pela equipe do projeto. Os horários, locais e dias das oficinas serão previamente definidas como os professores acompanhantes e alunos colaboradores.
O período de ocupação ou residência durará apenas uma semana.  Havendo cobrança de bilheteria, um funcionário da escola poderá acompanhar o procedimento, auditando os valores recebidos, para posterior divisão entre escola e proponente.
Objetivamos atingir 800 alunos em oito oficinas presenciais. 1000 alunos nos espetáculos, 1500 alunos na exposição do resultados e trabalhos realizados nas oficinas práticas. Total de alunos atingidos diretamente 2.300. Também temos expectativa de atingir 10.000 pessoas via rede web. Totalizando um público de 12.300 pessoas direta e indiretamente. 
Uma equipe de 20 profissionais artistas e educadores estarão diretamente envolvidos na realização das atividades.